O Meu Braço

Você disse espúrio
e eu me tranquei
para fora do seu cômodo
Você disse orgulho
e eu chorei por toda besta
sofredora desse mundo

Para
ser um pouco mais
do alcance para trás

Pra
viver um pouco menos
desse seu futuro ameno

Você disse métrica
e eu não ousei na réplica
de lhe mostrar sua mentira

eu ousei com a própria mão
a arrancar o próprio braço
deixando escorrer: verdade

Mas quem arrebatou
minhas pernas vasculhou

Eu
agora recolho
meus pedaços na avenida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s