Espiral

Sem saber do passado
reescrevo cegamente.
Amargamente
releio.

Um gene, um cromossomo
O sangue se repete.
Palavras de letras iguais

garrafais

não se guardam

esvaziam.
Enquanto repito
Estou em paz.
Estou sem nada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s