A cada decepção amorosa um bar é arruinado

Acabei não indo te encontrar
Nessa hora tão vulgar
Nessa presença sem lugar
Eu acabei de chegar
no encontro de palavras
O Rio-Negro do silêncio
Um alguém inacabado
em assombração
à espreita

Toda noite um rosto
cheio de digitais, se aproxima
Chama para a dança banal
Acende o fogo insuportável do casual

E eu não fui lhe encontrar
Plantei minhas flores
no centro da cidade
em rumos do próximo bar

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s